quarta-feira, 3 de abril de 2013

Não há



Não há!
Não dá!
Não posso fazer poemas nesta casa.
Yo estoy lista
para el mar.
Tudo consome
fogo em fogo
y alrededor
dos ladrilhos perros
moribundos suam
por libertad.
Hay viejos
insolentes
que quebram os sonhos
dos outros no jantar
tontos!
locos!
Dia todo fustigado
em queixumes de doenças imaginadas
as correntes prendem os portões
y la naturaleza
pero
a mí
no!

Nenhum comentário:

Postar um comentário